descrição

Espaço de aprendizagem colaborativa, de construção do conhecimento e de interação, pretende sensibilizar/consciencializar a comunidade educativa para as medidas de prevenção e segurança.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Sismo ...foi sentido em Portimão!


Hoje, dia 21 de outubro de 2015, o Instituo Português do Mar e da Atmosfera informou que, pelas 09h 38m foi registado e sentido um sismo de magnitude 3,4, na escala de Richter. O epicentro localizou-se a cerca de 10 Km de Silves.
 
Segundo se consta, não causou danos pessoais, nem materiais.
 
 
 
 

É sempre bom relembrar...COMO ATUAR EM CASO DE SISMO!





domingo, 18 de outubro de 2015

Sabias que....


Qual o significado deste símbolo????

"O símbolo reflete a missão e os valores da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).
 
O movimento sem fim das suas linhas transmite o jogo sem fim da prevenção/ reação: a ANPC está sempre presente, sempre alerta, nunca pára.
 
As linhas que se cruzam representam o rigor, a coordenação e integração, o trabalho de uma equipa ativa e multidisciplinar.
 
As três cores simbolizam o foco da atividade da ANPC, centrada no cidadão (cor de laranja), no património (azul) e no ambiente (verde).

http://diariobombeiroformacao.blogspot.pt/2012/03/sabe-qual-o-significado-do-simbolo-da.html

sábado, 17 de outubro de 2015

Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal

EU -SETEX treina busca e resgate


                                                                                                                                                       
O treino, será realizado nas instalações camarárias de Poçoilos e nas antigas instalações da Metalimex, no Vale da Rosa. Conta com a presença de operacionais da equipa de busca e resgate da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, militares do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro da Guarda Nacional Republicana (GNR); representantes do Grupo de Resgate Espeleológico e de Montanha – Unidade Canina de Salvamento da Região Autónoma de Castela e Leão, a Associação Nacional dos Alistados das Formações Sanitárias; elementos da Unidade Militar de Emergência do Ministério de Defesa do Reino de Espanha (integra o restrito leque de equipas certificadas pelas Nações Unidas ao abrigo das normas INSARAG – International Search and Rescue Advisory Group)


O EU SETEX – USAR 2015 inclui, no primeiro dia, um conjunto de sessões teórico-formativas, no auditório da Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal, conduzidas por peritos internacionais que participam no exercício.
Nestas formações teóricas marcam presença peritos do Pompiers de l'Urgence Internationale, de França, da Southwest Fire & Rescue Service, da Finlândia, do Civil Protection Inspectorate General HUSZAR Hungarian, da Hungria, e do Hellenic Fire Service, da Grécia.

O exercício é uma das ações do Plano Estratégico do Dispositivo Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal, no âmbito do compromisso assumido aquando da adesão do Município, como parceiro oficial, à Campanha Mundial para a Redução de Desastres “Construir Cidades Resilientes: A minha cidade prepara-se!”.

http://www.mun-setubal.pt/pt/noticia/setex-treina-busca-e-resgate/3305

Chuva e vento...

"Proteção Civil alerta para chuva e vento forte até 2ª feira"

Protecção Civil alerta para chuva e vento forte até segunda-feira

A autoridade Nacional de Proteção Civil (ANCP) alerta para a chuva e o vento forte que far-se-à sentir entre os dias 17 e 20 de outubro, sobretudo no litoral centro e sul (estando a cidade de Setúbal incluída), Esta situação poderá causar inundações, lençóis de água, quedas de árvores, danos em estruturas montadas ou suspensas .
   
"O eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados", afirmou a Proteção Civil, em comunicado, destacando as zonas historicamente mais vulneráveis, onde recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações.

Recomenda-se:
- condução defensiva e que não sejam atravessadas zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
adequada fixação de estruturas soltas e um especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, pois é possível ocorrer queda de ramos e árvores...
- especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros"deve-se evitar a circulação e permanência nestes locais;
- ,não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar", evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima.

Diário Digital com Lusa

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Simulação: Sismo na Escola Básica da Azeda- SETÚBAL


Mais de duas centenas de crianças da EB da Azeda, em Setúbal, participaram na tarde de dia 13 num simulacro de sismo e incêndio, integrado no Dia Internacional para a Redução de Catástrofes, com simulacros noutros estabelecimentos de ensino do concelho.

Puseram em práticas algumas medidas de prevenção no simulacro de sismo.

"O chão estava estático, mas é como se estivesse a tremer. Nesse momento, os cerca de 220 alunos da EB da Azeda protegem-se debaixo das mesas para aguardar, com a segurança possível, que o terramoto passe.
Uma vez chegada a acalmia, docentes e auxiliares refreiam os ânimos das turmas e relembram a importância de se contar, em voz alta, até cinquenta, num compasso de espera para que os grupos não sejam surpreendidos por réplicas, mesmo que, na tarde de 13 de outubro, fossem todas as fingir." 

Alguns elementos Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal estiveram presentes.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Setúbal, André Martins, que marcou presença no simulacro que decorreu na Azeda a partir das três da tarde, sublinhou que exercícios desta natureza se revestem de uma importância especial.

“Estamos sujeitos a que aconteça a qualquer momento uma catástrofe. Os profissionais da Proteção Civil têm de estar preparados para agir em conformidade, tal como toda a população.”

O autarca salientou também que, “através das escolas, das crianças, pelo poder de influência que têm nas famílias, as informações hoje partilhadas chegam, mesmo que de forma indireta, a muitos pais, a muitos adultos”.

Por isso, nos primeiros instantes após a contagem de segurança para precaver possíveis réplicas, uma auxiliar apressa-se pelos corredores da escola, recapitulando, em voz alta, algumas das medidas que tem a cumprir até à chegada das equipas de proteção civil. “O quadro, tenho de desligar o quadro”, exclama no início do sprint entre a sala de aula e a fonte elétrica da escola.

Entretanto, os alunos são organizados em grupos e encaminhados, ordeiramente, para o campo de jogos, o ponto de encontro definido para, após alguma catástrofe, como um sismo, se proceder à contagem de adultos e crianças.
Os alarmes disparam e um incêndio na cozinha é comunicado. Passados poucos minutos chegam sete homens e três viaturas da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal.
O fogo é controlado e extinto, enquanto se presta assistência à vítima ligeira desta tarde, um aluno da escola que observa com deslumbre toda a parafernália que equipa a ambulância de serviço e para a qual foi encaminhado.

“O Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros tem vindo a desenvolver um esforço significativo para facultar à população as informações e sensibilização necessárias para que saiba agir quando se registarem situações como as que hoje foram testadas”, adiantou André Martins.

O autarca considera que esse esforço, realizado ao longo de vários anos, está a surtir efeito junto da população. “O concelho tem hoje uma informação privilegiada sobre esta matéria.”

http://www.mun-setubal.pt/pt/noticia/sismo-a-fingir-treina-escolas/3316

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Publicação: Cidades Resilientes em Portugal

Uma cidade resiliente as residências e comunidades apresentam serviços e infraestrutura organizados e que obedecem a padrões de segurança e códigos de construção; a urbanização deverá ser sustentável; as autoridades locais e a população compreendem os riscos que enfrentam e desenvolvem processos de informação local e compartilhada com base nos danos por desastres, ameaças e riscos, inclusive sobre quem está exposto e quem é vulnerável; conta com a  participação, decisão e planeamento dos cidadãos; existe a preocupação em prevenir e minimizar os impactos das catástrofes, integrando tecnologias para a situação de alerta, alarme e para a proteção das infraestruturas, dos bens comunitários e individuais.

 Clique para ler
(Clique na imagem para consultar)